Um pouco da história do ponto cruz

            Adoro revistas sobre artesanato e dando uma olhada na revista Ponto Cruz Manequim (número 58), achei algo sobre a origem do ponto cruz.  Pois bem, os registros históricos do ponto cruz coincidem com o início da era cristã: 2014 anos. O ponto, porém, é muito mais antigo – surgiu na pré-história, quando os homens moravam em cavernas, o ponto cruz era usado para costurar as vestimentas, as quais eram feitas de pele de animal. As agulhas eram feitas de osso e as linhas com tripa de animais ou fibras vegetais.
 

Fonte: Google Images

Foram retirados de túmulos egípcios fragmentos de linho ( datados de 5000 a.C.) os quais revelaram que o ponto cruz era usado para cerzir peças de tecido.


       Para os romanos, o bordado era UMA PINTURA COM AGULHA, mas foram os babilônicos que batizaram a técnica.



Há controvérsias sobre a origem do ponto cruz, da forma como é utilizado hoje. Mas há quem acredite que ele tenha surgido na China, sendo levado para a Europa pelas antigas rotas comerciais –  a “rota da Seda”.



Na Europa Medieval, quase todas as culturas empregaram algum tipo de ponto cruz para enfeitar, principalmente, as roupas dos nobres. O bordado refletia pensamentos, ideias e religião de uma época, variando em cores e estilos, conforme a região.

Em meio a uma “febre” de ponto cruz, feito por pessoas das mais diversas posições sociais, no século XVIII,  surgiram os mostruários: uma forma de facilitar a escolha dos motivos e das cores.

Atualmente, o ponto cruz está atualizado e segue tendências. Ele acaba atraindo também as mulheres mais jovens, as quais gostam de motivos fáceis  para decorar a casa, enfeitar roupas e presentear.
 

 
Anúncios